NOTÍCIAS

VÍDEOS

Satélite

(SATÉLITE) O excesso de umidade mais a circulação dos fortes ventos em altitude causaram muitas chuvas em Lençóis, na Bahia. Os acumulados em 24 horas superaram os 170mm, que é quase o dobro da sua climatologia de fevereiro. Um corredor de umidade também deixou o norte do Espírito Santo com um volume de chuva acima dos 90mm, em 24 horas. Até a manhã desta terça-feira (19) as localidades entre os estados do Espírito Santo, do Rio de Janeiro e de Minas Gerais foram os que relataram os maiores acumulados de chuva, tudo por conta de um corredor de umidade e os fortes ventos em altitude. (MAIOR TEMPERATURA DO ANO EM VITÓRIA) Vitória,ES registrou na tarde de segunda-feira (18) a maior máxima do ano, se igualando a marca de 03 e 12 de fevereiro, com 36,3°C. Segundo os dados oficias do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia). E o destaque não para por aí, com esse valor, este ano de 2019 teve três tardes mais quentes dos últimos 3 anos, superou as maiores temperaturas observadas nos anos de 2018 e 2017, com 35,6°C do dia 03/01/18 e 36,1°C do dia 06/03/2017, mas está um pouco abaixo dos 36,6°C registrados em 25/02/2016, que foi a mais quente de 2016. (RAJADAS DE VENTO DE MAIS DE 90KM/H EM MARINGÁ-PR) Houve pancadas de chuva e forte ventania na tarde desta segunda-feira (18) no município de Maringá, no Paraná, que chegou até a derrubar uma árvore de grande porte na Av Mandacaru. Segundo os dados do aeroporto da cidade, a rajada de vento alcançou os 94,5km/h às 16h35, o maior valor relatado nesse dia no Brasil. Já pela estação do SIMEPAR, choveu nesta segunda apenas 12,4mm e com ventos de 60,8km/h às 07 horas. Isso aconteceu por conta da formação de áreas de instabilidade, associadas ao calor, que chegou aos 30,6°C, o aumento da umidade e mais a circulação dos fortes ventos em altitude. (CHUVA TORRENCIAL NO DOMINGO NA BA) Chuva torrencial e com alguns relatos de granizo em Vitória da Conquista, na Bahia, no domingo (17), fez a prefeitura decretar situação de emergência. Pela estação do CEMADEN, choveu por lá 58mm, quase a sua média climatológica de fevereiro (76,2mm). (GRANIZO NO PARANÁ) Em Jussara, no noroeste do Paraná, houve relato de queda de granizo na tarde de segunda-feira (18). - Como se forma o granizo? As gotas de água que vem da superfície da terra e de rios que se elevam quando o ar está mais quente e se chocam umas com as outras, aumentando assim seu tamanho e formando assim a nuvem. Ou seja, essas nuvens se formam em locais com temperaturas elevadas e com alta umidade. Ao chegar aos 5 km de altitude, onde as temperaturas estão muito abaixo do 0 grau, as gotas viram gelo. Geralmente as nuvens que provocam queda de granizo são chamadas de Cumulonimbus (CB) e chegam aos 18 km de altitude. Mas, esse granizo só consegue cair se tiver um tamanho grande e for pesado, vencendo a força da corrente de ar quente que mantém o gelo dentro da nuvem. (PREJUÍZO PROVOCADO PELO GRANIZO CHEGA A R$ 108 MILHÕES NA PRODUÇÃO DE TABACO NO SUL) Os temporais de granizo provocaram um prejuízo de cerca de R$ 108 milhões nesta safra de tabaco. De acordo com o tesoureiro da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Marcílio Dreschler, o montante ainda pode aumentar, já que algumas regiões dos três estados do Sul do País ainda têm tabaco nas lavouras. Conforme a Afubra, as indenizações começam a ser pagas aos produtores a partir desta terça-feira, 19. Recebem primeiro os que tiveram perdas de 75% e já pagaram a ordem de pagamento (OP). Segundo o gerente técnico da Afubra, Paulo Vicente Ogliari, apenas nesta safra, 21.884 lavouras de tabaco já foram atingidas no Sul do Brasil. O número considera os registros feitos até o último sábado, 16. No entanto, ele ressalta que ainda há 17% do tabaco para ser colhido, o que pode aumentar o número de locais afetados se ocorrerem novos temporais. Ainda conforme Ogliari, incêndios e tempestades provocaram prejuízos em 990 estufas nas regiões atendidas pela Afubra. (ESTE FEVEREIRO TEVE TRÊS DIAS COM NEVE EM LAS VEGAS E A ÚLTIMA VEZ QUE ISSO ACONTECEU FOI EM 1987) Em Las Vegas, nos Estados Unidos, houve registrou neve na noite de domingo (17) pela segunda vez neste mês e a terceira vez no geral neste inverno. Foram uns 2,54cm de neve reportado em Henderson, a sudeste do centro de Las Vegas, e de 2,5 à 5,0cm obserbados na área de Summerlin, a oeste do centro da cidade, de acordo com os relatórios do Serviço Nacional de Meteorologia (NWS). O aeroporto internacional de McCarran viu três dias de neve neste mês de fevereiro, de acordo com o NWS. Ressalta-se que a última vez que o aeroporto registrou neve em vários dias em fevereiro foi em 1987. Já houve queda de neve relatado em até cinco dias em fevereiro de 1949. Outros anos em que a neve aconteceu vários dias em um mês de fevereiro incluem: 1939, 1955, 1960, 1979 e 1985. (BALANÇO DE CHUVA NAS CAPITAIS) Pelas estações oficiais do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), as capitais no Brasil que mais choveram neste fevereiro: - Em Vitória, no Espírito Santo, registrou neste mês 106,3mm, o que é 33,9% a mais da sua climatologia de fevereiro (79,4mm). Mesmo assim, é apenas a metade do que foi observado em fevereiro de 2018, quando relatou 201,5mm. - São Luis, MA, choveu bastante nestes dezoito (18) dias de fevereiro, com 359,3mm, isso é 11,8% acima da sua climatologia de 321,4mm e é a capital no Brasil com o maior volume de água registrado neste mês. Mesmo assim, está um pouco longe dos 531mm precipitados em todo o mês de fevereiro de 2018 na capital maranhense. - Do dia 1 até a manhã do dia 18 de fevereiro acumularam 317,2mm em Rio Branco, AC, o que corresponde 6,3% acima da sua climatologia de fevereiro, 298,4mm. Mesmo assim ainda não superou o que se registrou em todo o fevereiro do ano passado, 2018, quando acumulou um total de 467,7mm. Salienta-se que essas chuvas de mais de 300mm fizeram o rio Acre voltar a subir e chegar aos 13,08 metros às 12 horas de segunda-feira(18), lembrando que a sua cota de alerta é de 13,5 metros. Além disso, todo o estado Acre recebeu bastante chuva, o que provocou a cheia do Rio Madeira, em Porto Velho, com cota de 16,23 metros ontem aumentou a possibilidade de transbordamento do manancial em trechos da BR-364, que liga o Acre ao estado de Rondônia. Com tudo isso, fez o governo do Acre decretar situação de atenção na última sexta-feira (15), e vale lembrar que em 2014 o governador do Acre considerou situação de calamidade pública. - João Pessoa choveu neste mês 201,0mm, quase o dobro da sua climatologia de fevereiro, que é de 105,4mm. Mas o grande destaque é que com essa chuva já é o fevereiro mais chuvoso em oito (08) anos na capital da Paraíba, ou seja desde 2011 quando registrou 222mm. - Campo Grande choveu neste fevereiro 177,2mm, isto é 1,8% acima da sua climatologia, 174,0mm. - Natal registrou neste mês 123,9mm de chuva, que é 31,3% a mais da sua climatologia (94,4mm). Mesmo assim, ainda é cerca de metade do que se precipitou em fevereiro de 2018, quando relatou 217,2mm. - Florianópolis, SC, choveu bastante nesses últimos dias, o que deixou este fevereiro com 222,5mm acumulados, isso é 10,4% acima da sua média climatológica (201,6mm). Além disso, esse fevereiro já é o mais chuvoso em 3 anos na capital catarinense, passou os 116,6mm de 2017, os 133,4mm de 2017, mas ficou atrás dos 229,4mm. - Na estação oficial do INMET, na capital do Rio de Janeiro, acumulou neste Fevereiro, 200,4mm, o que ficou 53,7% acima da sua climatologia do mês (130,4mm). Já pelo alerta Rio, da prefeitura da capital fluminense, em alguns bairros já choveu mais de 300mm, como os casos de Guaratiba, de Barra, Alto da Boa Visa, Jardim Botânico e Vidigal, aliás o primeiro local já acumula 402,0mm, o que já é o fevereiro mais chuvoso desde 1997, quando a prefeitura da capital fluminense (pelo Alerta Rio) começou a coletar os dados. Agora pelo dado oficial do INMET, o fevereiro mais chuvoso da histórica aconteceu em 1967, quando teve 432mm. - Maceió, AL, acumula 86,8mm de neste mês, o que é 19,1% a mais da sua climatologia (72,9mm). Porém, está abaixo do que foi observado em fevereiro de 2018, quando seus pluviômetros marcaram 142,7mm. ------------- - Belém, PA, já acumula 283,3mm de chuva neste fevereiro, o que falta 29,1% para chegar a sua média histórica, de 399,5mm. Mas, nada se compara aos 671,6mm precitados em fevereiro de 2018. - Belo Horizonte registra neste fevereiro 181,4mm, isso é exatamente a sua climatologia (181,4mm). No entanto, ainda esta longe dos 213,1mm precipitados em fevereiro de 2018. - Brasília, DF, acumula agora 107mm neste mês, e já é mais da metade de sua climatologia de fevereiro (183,0mm). Além disso, está longe dos 272mm, valor que se observou em fevereiro de 2018. -Após Curitiba, PR, acumular 190,6mm de chuva no mês de janeiro, o que faltava pouco para chegar a sua climatologia (218,3mm) e ficou bem longe dos 371,9mm precipitados em janeiro do ano passado na capital paranaense. Este fevereiro acumula 112,6mm de chuva na capital, o que falta apenas 32,3% para chegar aos 166,2mm, que é a média histórica de fevereiro. Além disso, já é o fevereiro mais chuvoso em 3 anos, passou os 96,8mm em fevereiro de 2018, os 86,7mm de 2017, mas não chegou nem perto dos 295,8mm de 02/2016. - Fortaleza já choveu neste mês 169,0mm pelos seus dados oficiais do INMET, o que falta apenas 9,6% para alcançar a sua climatologia, que é de 186,9mm. E também é mais da metade do que foi registrado em fevereiro de 2018, quando acumulou 212mm. - Goiânia, GO, registra neste início de fevereiro 170,1mm, isso é mais da metade da climatologia de fevereiro (222,9mm). Porém, ficou um pouco afastado do que choveu em fevereiro de 2018, quando acumulou 288,7mm. - Capital do Amapá acumula neste fevereiro um total de 285,9mm, o que falta 16,7% para chegar a sua climatologia, que é de 343,3mm. Ressalta-se que este mês choveu mais do que se observou em fevereiro do ano passado, quando registrou 206,1mm. Mas ficou bem longe dos 416,1mm precipitados em fevereiro de 2017. Sendo assim, Macapá tem o fevereiro mais chuvoso em 2 anos. - Manaus, AM, choveu 266,3mm nestes 18 primeiros dias de fevereiro, o que falta apenas 9,8% para alcançar a sua climatologia de fevereiro (295,1mm). Além de se aproximar dos 331,4mm precipitados em fevereiro de 2018. - Palmas registrou 188,8mm de chuva neste mês, o que está bem próximo da sua média histórica, de 274,3mm. Mas está distante do relatado em fevereiro de 2018, quando acumulou 345,4mm. - Porto Velho choveu neste fevereiro 302,2mm, isto é quase a sua climatologia, 316,0mm. - Na estação do Mirante de Santana, na zona norte da capital paulista, choveu 203,6mm neste mês, o que falta 17,3% para chegar aos 246,2mm da sua climatologia. Mesmo assim, já é o fevereiro mais chuvoso em 3 anos na cidade de São Paulo, passou os 102,2mm em fevereiro de 2018 e os 127,3mm de 2017, mas não superou os 275,1mm de 2016 . - Teresina registra 133,3mm de chuva em fevereiro, o que falta 44,2% para alcançar a sua média histórica (de 239,1mm). Além disso, está longe dos 320,7mm registrados em fevereiro de 2018. - Recife acumula neste fevereiro 108,9mm, o que falta apenas 17,7% para chegar a sua climatologia (132,4mm) e está próximo também do valor precipitado em fevereiro de 2018, quando registrou 146,2mm. (SISTEMA CANTAREIRA) O excesso de chuva dos últimos dias favoreceu a relação do nível do Cantareira, passando dos 44,6% no dia 15 de fevereiro par os 45,6% no dia 18 de fevereiro. Ou seja de sexta para a última segunda o nível subiu 1%. E o destaque não para por aí, o último dia 18 teve o maior nível no sistema desde o dia 11 de junho de 2018, quando também registrou 45,6%. Esse volume subiu por conta dos 153,9mm precipitados neste mês de fevereiro, mesmo faltando apenas 24,3% para chegar a sua média climatológica, que é de 203,4mm. Também foi contribuído pelos 222,8mm de chuva de janeiro, que ficou um pouco abaixo da sua média histórica (262,6mm,) e do que se precipitou em janeiro de 2018, quando acumulou 276,6mm. (CHUVA) Pelas estações do INMET, hoje: Macapá-AP: 25,2mm Belém-PA: 2mm Manaus-AM: 4mm Recife-PE: 1,2mm Cuiabá-MT: 4,4mm Belo Horizonte (Pampulha)-MG: 4,2mm Vitória-ES: 9,4mm Rio de Janeiro (Forte Copacabana)-RJ: 2,4mm Curitiba-PR: 0,4mm (CHUVA DE ONTEM) Pelas estações do INMET, ontem: Macapá-AP: 105,4mm Belém-PA: 22,6mm Palmas-TO: 1,2mm Manaus-AM: 2,6mm João Pessoa-PB: 1,8mm Recife-PE: 6mm Brasília-DF: 13mm Goiânia-GO: 9mm Belo Horizonte (Pampulha)-MG: 18,6mm Rio de Janeiro (Forte Copacabana)-RJ: 14,4mm Curitiba-PR: 1mm Florianópolis (São José)-SC: 15,8mm (TEMPERATURAS MÍNIMAS) Pelo INMET, nesta manhã: Macapá-AP: 23,4°C, mesma sensação Belém-PA: 23,5°C, mesma sensação Palmas-TO: 22,7°C, mesma sensação Boa Vista-RR: 24,1°C, mesma sensação Manaus-AM: 24,3°C, mesma sensação Porto Velho-RO: 24,4°C, mesma sensação Natal-RN: 28,0°C, com sensação de 32,7°C João Pessoa-PB: 26,5°C, com sensação de 28,0°C Recife-PE: 24,6°C, mesma sensação Maceió-AL: 24,9°C, mesma sensação Aracaju-SE: 27,1°C, mesma sensação Salvador-BA: 25,4°C, mesma sensação Brasília-DF: 17,7°C, com sensação de 17,0°C Goiânia-GO: 19,2°C, com sensação de 19,0°C Cuiabá-MT: 23,2°C, mesma sensação Campo Grande-MS: 21,9°C, mesma sensação Belo Horizonte (Pampulha)-MG: 19,6°C, mesma sensação Vitória-ES: 22,7°C, mesma sensação Rio de Janeiro (Forte Copacabana)-RJ: 24,1°C, mesma sensação São Paulo (Mirante de Santana)-SP: 21,7°C, mesma sensação Curitiba-PR: 17,8°C, com sensação de 16,8°C Florianópolis (São José)-SC: 20,7°C, mesma sensação Porto Alegre-RS: 21,3°C, mesma sensação (MÁXIMAS DE ONTEM) Pelas estações automáticas do INMET: Macapá-AP: 24,8°C Belém-PA: 28,2°C Palmas-TO: 28,6°C Boa Vista-RR: 33,7°C Manaus-AM: 32,9°C Porto Velho-RO: 33,0°C São Luis-MA: 30,2°C Fortaleza-CE: 32,1°C Natal-RN: 30,9°C João Pessoa-PB: 31,6°C Recife-PE: 32,0°C Maceió-AL: 32,0°C Aracaju-SE: 33,0°C Salvador-BA: 33,5°C Brasília-DF: 21,1°C Goiânia-GO: 27,2°C Cuiabá-MT: 33,8°C Campo Grande-MS: 31,1°C Belo Horizonte (Pampulha)-MG: 26,4°C Vitória-ES: 36,3°C Rio de Janeiro (Forte Copacabana)-RJ: 29,8°C São Paulo (Mirante de Santana)-SP: 29,9°C Curitiba-PR: 29,1°C Florianópolis (São José)-SC: 25,3°C Porto Alegre-RS: 31,7°C (NEVOEIRO) Até as 08:51:52, de acordo com os Aeroportos: O Aeroporto Internacional Afonso Pena (Curitiba-PR) registrou nevoeiro, nesta manhã.