Jornal do Tempo | Notícias

Apesar da chuva, racionamento continua em Brasília

Rodízio no abastecimento deve continuar nos próximos meses

10/01/2018 16:58:00

Por: Monique Gentil

A cidade de Brasília passou pela pior seca em 57 anos no final de 2016 e 2017 começou marcado pela instalação do racionamento de água na Capital Federal, que está para completar um ano em 15 de janeiro. A primeira semana de 2018 foi de muita chuva no Distrito Federal, o que ajudou a elevar o nível dos reservatórios, mas o rodízio de água continua em Brasília.

Os dados do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) apontam que a capital recebeu 88,6mm de chuva desde a virada do ano, ou seja, 36% da média de janeiro, que é de 247mm. Com isso, o nível do reservatório de Descoberto, principal fonte de abastecimento da cidade, subiu de 30% para 35%, enquanto o Santa Maria se manteve estável em 53%.

Segundo relatório da Adasa (Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal) publicado no final de dezembro, levando em consideração o ritmo das chuvas, o rodízio de água, vazão, entre outros fatores técnicos, o Descoberto deve atingir 47% de seu volume útil até o fim do período chuvoso, em meados de maio o que deve garantir o abastecimento público no próximo período de seca nos meses de outono e inverno.

A chuva ocorre intercalada com períodos de melhoria nesta semana e a previsão da Somar Meteorologia é de que as instabilidades voltem com força a Brasília nesta quarta-feira (10), diminuam na quinta-feira (11) e voltem a se intensificar novamente a partir da sexta-feira (12), sendo que os volumes podem passar dos 60mm nos próximos cinco dias.

De acordo com o meteorologista Celso Oliveira, da Somar, a atuação do La Niña, que é o resfriamento anormal das águas do Oceano Pacífico, deve continuar até o final do verão com fraca intensidade e por isso, não afeta tanto o Centro-Oeste. A estação promete terminar com chuvas dentro ou até mesmo acima da média na região.

Últimas notícias

Buscar notícias