Jornal do Tempo | Notícias

Onda de frio para a segunda quinzena de maio

A previsão é de frio no Centro-Sul com risco de neve nas serras da Região Sul, enquanto que o Centro-Norte do país segue instável e abafado

16/05/2018 10:50:00

Por: Livia Fernanda

A segunda quinzena de Maio começou com mudança no tempo no Centro-Sul do país. Uma frente fria se desloca entre a costa das Regiões Sul e Sudeste nos próximos dias e espalha instabilidades nessas áreas.

O destaque maior será o declínio das temperaturas, que já apresenta uma leve diminuição devido ao aumento de nebulosidade, mas a queda mais acentuada será no próximo final de semana e as temperaturas mínimas ao amanhecer nas áreas de Serra da Região Sul podem ficar negativas.

A queda das temperaturas associada a condição de umidade do ar elevada, favorecem a chance de ocorrência de neve entre o domingo (20) e a segunda-feira (23) nos pontos mais altos do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Já em áreas do Sudeste, o frio será mais sentido ao amanhecer, porém com menor intensidade, com mínimas próximas de 6 e 7°C entre São Paulo e Sul de Minas Gerais.

A sensação de frio diminui aos poucos ao longo da próxima semana após a passagem da frente fria e a partir de segunda-feira (21) o tempo volta a ficar seco ainda com baixas temperaturas durante as manhãs.

Assim toda a segunda quinzena de maio será menos quente nas Regiões do Centro-Sul, se comparado com a primeira quinzena do mês, exceto os municípios mais ao norte do Mato Grosso onde o tempo segue abafado.

Chuva continua no Norte e Nordeste até o fim do mês
Enquanto o Centro-Sul esfria, a região Norte e a costa leste do Nordeste continuam sob a influência de áreas de instabilidades. Somente na última semana do mês, a massa de ar seco avança pelo interior do Nordeste, e a queda de temperatura durante a tarde será sentida em áreas do sul da Bahia, garantindo tardes mais amenas.

E depois de maio?
Nos próximos meses, a tendência é de entrada de poucas massas de ar mais frio que avançam entre o Sul e o Sudeste. Elas poderão ser intensas, mas não frequentes. As previsões apontam para uma próxima de queda de temperatura significativa apenas entre o final de Junho e começo de Julho.

Últimas notícias

Buscar notícias