Jornal do Tempo | Notícias

Excesso de chuva no Paraná vai paralisar plantio de milho e soja

Já em Mato Grosso, produtores aguardam a chuva acelerar semeadura

25/09/2014 15:07:00

Por: Rafaela Vendramini

O plantio de milho e soja no Paraná já começou, mas os trabalhos que foram adiantados na última semana serão paralisados nos próximos dias. Uma frente fria está estacionada no Estado e provoca chuva forte, principalmente na região oeste, área onde os trabalhos no campo foram iniciados.

Até o momento, o plantio de milho atinge 41% da área destinada ao grão e o de soja chega a 7%, segundo dados da Secretaria Estadual de Agricultura do Paraná. Somente nos últimos sete dias o volume de chuva passou de 160mm na região de Cascavel. Na cidade, o normal é chover 150mm em todo o mês, mas há cinco dias do fim de setembro esse valor já é de 260mm.

O que preocupa ainda mais os produtores rurais é a quantidade de chuva que está por vir. Segundo a previsão da Somar Meteorologia, em Toledo vai chover mais de 200mm somente nos próximos 15 dias. Além do volume, as chuvas serão constantes, o que impede a ida das máquinas para o campo.

[*BContrapontoB*]

Já em Mato Grosso, o produtor espera a regularização das chuvas para acelerar o plantio. Segundo informações do Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) 25 mil hectares foram semeados em todo o Estado. O órgão afirma que o custo elevado de produção é o responsável pela cautela dos agricultores.

Em algumas regiões as chuvas foram de altos acumulados, como é o caso de Sorriso, onde o normal para setembro é chover 70mm e o volume de água já é de 80mm. Porém, em outras áreas, como em Tangará da Serra, neste mês choveu a metade do esperado.

O problema é que essas chuvas aconteceram muito espaçadas umas das outras e como o solo vem de um longo período seco, a umidade da terra não se recuperou. Em todo o Mato Grosso o índice de água disponível no solo está abaixo de 10%.

A previsão da Somar Meteorologia é de volta das chuvas a partir do dia 1º de outubro e uma frequência maior desses temporais na segunda quinzena do mês que vem.

Últimas notícias

Buscar notícias