Jornal do Tempo | Notícias

Climatologista afirma: causa do fenômeno que diminuiu a quantidade de chuva em São Paulo é desconhecida

Segundo os especialistas, a crise do abastecimento de água está apenas começando

13/11/2014 15:26:00

Por: Rafaela Vendramini


O acumulado de chuva em 2014 na região do Cantareira de fato está mais baixo do que o observado há 10 anos, por exemplo. De janeiro a outubro deste ano choveu pouco mais de 660mm no principal reservatório de abastecimento de água da capital paulista, enquanto no mesmo período de 2004 o volume de chuva acumulado foi de 1.160mm. O fenômeno que provocou essa diminuição é conhecido, mas o que causa ele ainda pode ser explicado pelos especialistas.

“Nos últimos anos entramos numa fase fria do Oceano Pacífico, fato que reduz a quantidade de chuva acumulado anualmente no Sudeste do Brasil. O ciclo conhecido como ODP (Oscilação Decadal do Pacífico), muda mais ou menos a cada 30 anos, mas o por quê existe essa variação a comunidade científica ainda não sabe afirmar”, explica o climatologista da Somar Meteorologia, Paulo Etchichury.

O tema foi debatido no Congresso Brasileiro de Meteorologia, que aconteceu entre 3 e 6 de novembro, em Recife. Nas discussões do CBMET muitos questionamentos ficaram sem resposta, mas os cientistas entraram em um consenso: se trata de um fenômeno de escala global e que não muda de um ano para o outro. Ou seja, o problema não está perto de ser solucionado.

Prova de que as mudanças climáticas não afetaram somente o Brasil são outros extremos observados em 2014 pelo mundo, como o frio intenso e duradouro do inverno nos Estados Unidos e as chuvas, que trouxeram inundações para a Europa.

“As chuvas do próximo verão devem garantir o abastecimento em São Paulo, mas com restrições. E a falta de água permanece durante o período seco de 2015”. alerta Etchichury. Um outro fenômeno, chamado pelos meteorologistas de madden julian, é um pulso de energia, que passa pelos Oceanos Índico, Pacífico e Atlântico a cada 30-60 dias e nesse pulso as chuvas são potencializadas.

O madden julian ajuda na formação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que provoca chuvas duradouras e com elevados acumulados. O problema é que a condição dos Oceanos nos últimos verões fez com essas chuvas não se concentrassem em São Paulo. Em 2013 a ZCAS se formou no Espírito Santo e deixou o Estado debaixo de água.

“A crise atual acende um alerta: quando os recursos naturais são abundantes, as falhas estruturais são compensadas. Agora, resta as autoridades se preocupar com soluções de longo prazo”, conclui Paulo Etchichury.

Últimas notícias

Buscar notícias